As tecnologias revolucionárias que irão melhorar o mundo, segundo Bill Gates

27 de Fevereiro de 2019 | 8 meses atrás | Tempo de leitura: 5 minutos

Bill Gates, em colaboração com o MIT, preparou uma lista com 10 tecnologias revolucionárias que devem influenciar positivamente e melhorar o mundo a partir de 2019. Sendo assim, decidimos separar algumas delas e fazer uma lista para você ficar por dentro do que deve acontecer nos próximos anos:

1. Tratamento personalizado contra o câncer

Cientistas têm testado tratamentos que incitam as defesas naturais do corpo para destruir apenas as células cancerígenas, identificando mutações únicas em cada tumor.

Elas estão sendo chamadas de “vacinas contra o câncer” e, se elas funcionarem como o esperado, as “vacinas”, que acionam o sistema imunológico de uma pessoa para identificar um tumor por meio de suas mutações únicas, podem bloquear muitos tipos de câncer.

Ao utilizar as defesas naturais do corpo para destruir seletivamente apenas as células cancerígenas, esse tratamento, ao contrário das quimioterapias convencionais, limitaria os danos causados às células saudáveis, atacando apenas as que estão doentes.

2. Coletor de dióxido de carbono

Em 2015, a empresa suíça Climeworks desenvolveu uma máquina capaz de capturar o ar, filtrá-lo e absorver as moléculas de dióxido de carbono, um dos gases que causam o efeito estufa. Depois, o equipamento utiliza esse gás para diversos fins, sem devolvê-lo à atmosfera.

Porém, até hoje, a revolucionária tecnologia não tem sido muito utilizada, principalmente pelo seu custo: a captura de uma tonelada de dióxido de carbono custa, atualmente, cerca de U$$ 600 dólares.

Parece pouco, mas de acordo com a avaliação do Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática da ONU, para limitar o aquecimento global a 1,5 °C seria necessário remover da atmosfera de 100 bilhões a 1 trilhão de toneladas métricas de dióxido de carbono até o final do século. Sendo assim, o valor de U$$ 600 por tonelada se torna muito alto.

Pensando nisso, o cientista de clima de Harvard, David Keith, provou que é possível reduzir os custos a U$$100 por tonelada, o que deve melhorar o cenário e possibilitar a utilização em escala dessa tecnologia.

3. Energia nuclear mais segura e barata

Em 2018, novos projetos para a energia nuclear começaram a ser desenvolvidos. Entre eles, vale destacar os reatores de fissão geração IV, uma evolução dos projetos tradicionais.  

Esses reatores são pequenos e devem reduzir os riscos ambientais, além de serem mais baratos. As empresas General Fusion e Commonwealth Fusion Systems dizem estar progredindo no desenvolvimento da tecnologia.

Apesar de a energia nuclear ser um tema muito polêmico, já que causou catástrofes ao longo dos anos, esse tipo de energia pode ser uma opção barata, que não irá causar os problemas que enfrentamos anteriormente, uma vez que esses reatores derretem e não produzem resíduos duradouros.

4. Robôs extremamente ágeis

Grande parte dos robôs que atuam em empresas e indústrias ainda são bastante desajeitados e nada flexíveis. Um robô pode pegar repetidamente um componente em uma linha de montagem com precisão, mas é só mover objeto em poucos centímetros ou substituí-lo por outro um pouco diferente, que a máquina irá se atrapalhar.

Diante dessas dificuldades, foram criados projetos que consistem em ensinar os robôs a aprender a manipulação dos objetos por conta própria, por meio de tentativa e erro.

Um desses projetos é o Dactyl, criado pela OpenAI. Ele consiste em uma mão robótica rodeada e um software, que aprende como segurar e movimentar um bloco de brinquedo dentro de um ambiente simulado, antes que a mão tente, de fato, mexer o brinquedo.

Geralmente não é possível transferir esse tipo de prática virtual para o mundo real, porque o atrito ou os diferentes materiais são difíceis de serem simulados, mas a  equipe criadora do projeto foi capaz de vencer essa dificuldade.

Com certeza serão necessários avanços para que os robôs se tornem realmente ágeis, mas esse é um passo importante que deve, em breve, melhorar o desempenho dessas máquinas e criar possibilidades de utilização em nosso dia a dia.

Além das que listamos acima, há muitas outras tecnologias revolucionárias que podem melhorar o mundo nos próximos anos. No site da 3MW, já falamos sobre algumas delas, como a computação quântica, máquinas que estariam prestes a ler nossos pensamentos, além de tecnologias disruptivas.