Como a tecnologia está ajudando empresas a alcançar a eficiência energética

30 de novembro de 2018 | 2 semanas atrás | Tempo de leitura: 4 minutos

Seja na indústria, governos, ou em nosso dia a dia, o termo sustentabilidade tem se tornado cada vez mais importante com o passar dos anos. A consciência da necessidade do consumo e produção sustentáveis é uma realidade e, paralelamente, a eficiência energética também se tornou uma preocupação para as empresas. Além de proporcionar economia, utilizar a energia de maneira inteligente garante um diferencial, e tecnologias como IoT,  Inteligência Artificial e Cloud Computing podem contribuir para alcançar esse objetivo.

De acordo com a IEA (International Energy Industry), a utilização de sistemas e gerenciamento de energia em indústrias pode resultar em uma economia de cerca de 10% para empresas.

Buscando alcançar a maior produção com o menor gasto de energia, diversas companhias estão utilizando a tecnologia a seu favor para garantir essa economia. Cloud computing, Inteligência Artificial e Internet das Coisas (IoT) estão sendo aplicadas no monitoramento e controle do consumo.

A Internet das Coisas possibilita o monitoramento de máquinas e outros equipamentos utilizados. Dessa forma, é possível analisar, de maneira periódica, os dados captados e enviados ao sistema.

Depois de inseridos no sistema, que pode utilizar computação em nuvem, soluções de Big Data e Business Intelligence podem ser utilizadas na extração de informações importantes para a realização de mudanças na empresa. O consumo e metas estabelecidas também podem ser visualizados de forma mais clara.

Mas como a inteligência artificial pode contribuir para ajudar na utilização racional da energia em empresas?

Como já falamos em posts anteriores sobre Inteligência Artificial, como este aqui, ela pode ser utilizada em diversas áreas. Visando à eficiência energética, pode ser aplicada junto ao Machine Learning. Assim, padrões de consumo podem ser identificados, além de falhas e previsões.

No Brasil, há empresas especializadas no uso inteligente da energia, porém, o número das que são energeticamente eficientes tem diminuído. Em um ranking elaborado em 2018 pelo Conselho Americano para uma Economia Energeticamente Eficiente, o Brasil aparece na 20ª posição geral, e o desconhecimento das tecnologias capazes de proporcionar um cenário melhor é um dos motivos que colocam o Brasil nessa posição.

Apesar disso, existem iniciativas importantes que podem ajudar a melhorar essa situação, como o Programa Aliança, que visa à sustentabilidade nas empresas e uso racional da energia.

Fora do país, há exemplos como o Apple Park, campus da Apple construído em 2017 na Califórnia/EUA. No campus, que é uma das construções com melhor eficiência energética no mundo, 100% da energia é obtida a partir de fontes renováveis, sendo 75% por meio de painéis solares.

Em 2018, a empresa anunciou que já opera globalmente em escritórios e data centers com energia 100% renovável.