Como foi o evento “Inteligência artificial simplificada”

19 de outubro de 2018 | 8 meses atrás | Tempo de leitura: 3 minutos

Aconteceu ontem, dia 18 de outubro, mais uma edição da série de eventos 3MW Chats. Dessa vez, o tema foi “Inteligência Artificial Simplificada”, e trouxe questões sobre o futuro da inteligência artificial (IA) e de nossa relação com essa tecnologia.

Antes das palestras, Vinicius Debian, um dos sócios da 3MW, abriu a noite falando sobre o surgimento da IA. “É um termo que surgiu por volta dos anos 1950, com a pesquisa de algoritmos para redes neurais. Um pouco depois, na década de 1960, o foco estava voltado para algoritmos de comando de voz, como os assistentes pessoais que temos atualmente”, explicou.

Apesar da inteligência artificial ser um tema conhecido, ainda não sabemos ao certo o que acontecerá no futuro e quais serão os impactos gerados por ela.

Vinicius explicou que o medo e insegurança das pessoas acerca da IA muitas vezes existe por conta do cinema, que mostra, em muitos casos, um impacto negativo da inteligência artificial na sociedade. “Isso gerou um medo do que estaria por vir”, comentou.

Em seguida, Luciane Bottamedi, head de Data Driven Business da 3MW, trouxe uma visão otimista para o futuro dessa tecnologia e de nossa relação com ela.

Além de falar sobre o funcionamento da IA, ela apresentou algumas de suas aplicações e salientou sobre a importância de usar essa tecnologia a nosso favor.  “Há empresas utilizando a inteligência artificial para descobrir qual é o padrão das células cancerígenas. A ideia é entender o que acontece em uma célula que a faz se tornar cancerígena”, explicou Lucianne.

Para ela, a inteligência artificial é uma oportunidade, já que somos nós quem iremos “ensinar” o que essa tecnologia deve fazer.

Depois, Lydia Caldana, futurologista que tem um podcast na rádio Veneno Live e é head do departamento de futuro da Box 1824, falou sobre o conceito de IA, mostrou aplicações da tecnologia e trouxe questões sobre o cenário futuro.

Segundo Lydia, a IA já exerce muitas funções humanas. Apesar de existirem limitações, essa tecnologia é capaz de realizar tarefas que nunca imaginamos.

“Foi criada uma IA para captar imagens e sons em uma viagem realizada por ela pelos Estados Unidos. A partir disso, a inteligência artificial escreveu um livro”, contou.

Depois das palestras, a dupla Rafa Toledo e Zé Cintra, da rádio Veneno Live, comandou a trilha sonora.

As palestrantes Lydia Caldana e Luciane Bottamedi

Apesar das incertezas do que vem pela frente, a inteligência artificial veio para ficar, e cabe a nós descobrir como utilizá-la a nosso favor. Segundo Vinicius Debian, a tecnologia não está aqui para dividir, mas sim para somar. “A inteligência artificial é uma possibilidade para construirmos um mundo mais exponencial e abundante”, concluiu.