Viagens espaciais: Elon Musk quer te levar para qualquer lugar do mundo em 1h

Tecnologia

23 de Maio de 2018 | 4 semanas atrás

Das várias empresas de Elon Musk — PayPal, Tesla e SpaceX — a última é a que dá mais margem para que a megalomania do empresário venha à tona. Afinal, o que são carros elétricos quando se pode oferecer viagens especiais para pessoas comuns? Bom, além de nos levar para Marte, Elon Musk quer revolucionar o transporte aqui na Terra. Esqueça longos voos, conexões demoradas e passar até mais de um dia viajando. A SpaceX quer criar um sistema de transporte em que seria possível te levar em qualquer lugar do mundo em 1h. Sim, que tal ir para o Japão em 60 minutos?

Elon Musk já havia revelado em setembro os planos, mas Gwynne Shotwell, CCO da SpaceX, deu mais detalhes sobre a plataforma em uma conversa com o curador do TED, Chris Andersen.

Já algumas previsões interessantes: segundo Shotwell, o primeiro avião — ou melhor, foguete — deve transportar cerca de 100 pessoas e será capaz de completar 12 viagens por dia. O preço? Não tão mais caro do que uma passagem comum. Uma passagem sai por cerca de US$ 2 mil (pouco mais de R$ 7 mil, na cotação atual). Além do quanto, outra pergunta relevante é quando: segundo a CCO, cerca de 10 anos.

Chamado de Earth-to-Earth (Terra para Terra), o plano utilizaria o mesmo foguete que a SpaceX quer usar para mandar humanos para Marte até o ano de 2024. Viajando a 27 mil quilômetros por hora, o foguete poderá fazer viagens de Londres para Dubai ou Nova Iorque em 29 minutos e Los Angeles para Toronto em 24 minutos. A proposta da SpaceX é que esse foguete saia em uma região que seja possível lançar o foguete — de preferência, no mar.

Apesar de promissora, analistas ainda veem o projeto com alguma desconfiança. É claro que, para os mais aventureiros, decolar em um foguete e sentir alguns segundos sem gravidade vai parecer empolgante mas, como lembra o The Verge, pessoas terão que sentir tão seguras quanto em viagens de avião, o que não deve acontecer tão cedo. A SpaceX já mostrou que, aos poucos, vai dominando os processos mais complicados nos foguetes — decolagem e pouso –, mas há uma grande diferença entre fazer testes e transportar 100 pessoas.

Viagens espaciais: a nova corrida das empresas privadas

Se as décadas de 50 e 60 trouxeram uma corrida espacial entre países como EUA e União Soviética, o século XXI traz a briga entre empresas privadas que estão dispostas a investir na área: além da SpaceX, de Musk, também há a Blue Origin, do fundador Jeff Bezos, dono da Amazon. O que começou tímido no começo dos anos 2000 tem se tornado cada vez mais sério — em fevereiro de 2018, após anos de estudos e testes, a SpaceX lançou o foguete Falcon.

Bezoz e Musk tem a companhia de outro milionário — Sir Richard Branson, fundador da Virgin. A Virgin Galactic, braço da empresa focado no mercado espacial, é outra que batalha para fazer das viagens espaciais algo acessível para qualquer pessoa. Este texto do The Guardian explica um pouco mais sobre a corrida espacial e lembra que, atualmente, não faz mais sentido uma batalha entre NASA e outras agências espaciais. Aliás, muito pelo contrário — há muita colaboração sendo feita entre diferentes países. E, para a sociedade, é interessante que empresas privadas aqueçam esse mercado. E o próprio Musk concorda: “nós queremos uma nova corrida espacial. Corridas são empolgantes”, disse em coletiva de imprensa.