A inteligência artificial pode prever o futuro?

Tecnologia

14 de junho de 2018 | 1 mês atrás | Tempo de leitura: 3 minutos

Uma das principais características da inteligência artificial é identificar padrões. Às vezes, as riquezas de detalhes no aprendizado da máquina e a capacidade do software permite até que a AI preveja o futuro, de certa forma.

Calma, ela não consegue te dizer se será rico ou em que ano vai casar — por enquanto, existem programas que conseguem identificar qual atitude você tomará em breve, e possivelmente te ajudar. O Google já investiu em seu braço de AI — a divisão Deepmind, destinada a AI –, para que faça algo como prever o futuro. Ao dar uma “imaginação” à inteligência artificial (o que, convenhamos, parece um pouco assustador), a empresa quer que o algoritmo seja capaz de prever como uma situação pode acontecer.

O exemplo para explicar a iniciativa do Google é interessante: “quando colocamos um copo na ponta de uma mesa, por exemplo, nós provavelmente vamos prestar atenção para considerar se ele está estável e se vai cair”, disse a empresa em um post em seu blog. “Se nosso algoritmo conseguir desenvolver comportamentos tão complexos quanto esse, poderemos ter a capacidade de imaginar o futuro”, completa.

Inteligência artificial já consegue prever…Uma salada

Uma nova pesquisa mostrada no IEEE Conference on Computer Vision and Pattern Recognition detalha como um algoritmo de machine learning foi treinado com horas de vídeos para prever o que a pessoa fará em seguida. No caso, essas pessoas estavam…Preparando saladas e café-da-manhã.

Não parece nada muito revolucionário, sabemos, mas a ideia é que, identificando os próximos passos, o algoritmo possa ajudar. Como, você pode perguntar? Os cientistas desenvolveram o algoritmo pensando em um futuro (não muito longe) em que gadgets em uma smart home podem reconhecer o que você está fazendo e dar uma força. Por exemplo, um assistente pessoal pode lembrar que você pulou um passo da receita ou até mesmo um forno inteligente já pode ir ficando pré-aquecido na temperatura ideal.

O mais interessante é a intenção da pesquisa e as possíveis consequências citadas pelos cientistas — e não ela em si. Como falamos, ela ficou limitada a saladas e café-da-manhã. E, infelizmente, ela não conseguiu prever com tanto êxito — a inteligência artificial conseguiu antever a ação da pessoa cerca de 40% do tempo — isso quando a máquina prevê por até 3 minutos no futuro. Mais do que isso, a precisão diminui em 15%.

No entanto, o Futurism lembra que a tecnologia de tentar prever a ação das pessoas é algo novo — obstáculos e resultados não tão satisfatórios. E, mais do que isso, os pesquisadores acreditam que uma previsão a longo prazo é “não mais do que alguns segundos”. Para eles, apenas o fato de prever alguns minutos já é um avanço tremendo — mesmo que não seja infalível e nem tão abrangente.