Conheça 6 principais desafios da estratégia All-line

Pulse

30 de Abril de 2018 | 2 meses atrás

O comportamento atual do consumidor mudou. O que ele procura hoje em dia na hora de efetuar uma compra é praticidade, conveniência e nenhum problema. A partir desses preceitos é que surge a estratégia All-Line.

O All-Line é a etapa desenvolvida mais recentemente no mundo do varejo. Antes de chegar nela, o varejo passou por 3 estágios: o single-channel, o multi-channel e o cross-channel. Com o desenvolvimento e a alteração do perfil consumidor, o mercado precisou se atualizar ainda mais e, então, passou para a etapa 4: o omnichannel, ou o que chamamos de All-line (termo mais comumente utilizado pela equipe da 3MW em ações e/ou projetos estruturados sem distinção entre o ‘ON’ e ‘OFF’).

Nessa estratégia o público consumidor passa a acessar simultaneamente vários canais de compra e pontos de contato de um mesmo estabelecimento comercial sem perceber a diferença de estar indo de um para o outro. As empresas já entenderam essa demanda de se adaptarem às preferências de cada um dos seus consumidores e estão implementando a estratégia All-Line em sua rotina.

No Brasil ainda há alguns desafios para o funcionamento perfeito da integração dos canais das empresas, e por isso,  elencamos abaixo os 6 principais obstáculos que você deve estar atento ao colocar a estratégia All-Line em funcionamento. Confira!

1. Cultura empresarial

Um dos primeiros pontos que podem atrapalhar a implementação dessa estratégia em uma empresa é a própria cultura da organização. Dependendo do momento pelo qual o negócio está passando, pode haver resistência para colocar o pensamento All-Line em pleno funcionamento.

Ainda existem alguns empresários que enxergam o ambiente online como um dificultador dos negócios, devido à complexidade dos vários caminhos possíveis no mundo digital, e também pelo fato do medo ao desconhecido. Porém, é preciso levar em conta os hábitos de compras do neo consumidor para não perder vendas desnecessariamente.

2. Organização

As questões legais e fiscais do processo de compra com integração de canais de uma empresa tendem a ficar mais complicados. Para obter uma estratégia All-Line de sucesso é preciso alinhar toda a estrutura da organização empresarial, principalmente a logística reversa, processo de trocas e garantias de produtos.

Para o fluxo de vendas ser correto e não acarretar problemas fiscais e legais há a necessidade de ficar atento a questões jurídicas. Alguns empresários estruturam a operação online em uma nova empresa e utilizam esse novo CNPJ para faturar os pedidos, mas a questão fiscal pode ficar mais complicada se um consumidor comprar no canal online e quiser retirar no canal físico. Por isso, a necessidade de se organizar muito corretamente.

3. Top down / bottom up

Para uma mudança desse porte na estruturação de empresas é necessário contar com a compreensão e apoio de todos os colaboradores, independente do grau de hierarquia. Muitas vezes, para a estratégia All-Line ser instaurada corretamente, é preciso efetuar mudanças que afetarão o próprio DNA da empresa.

Além de alterações tecnológicas, que são extremamente necessárias em todo o sistema da organização, também ocorrerá a mudança na relação com o cliente. Ele, a partir de então, será o ponto central da visão da empresa. Afinal, essa adaptação será feita para atender as novas necessidades dos consumidores, que solicitam uma nova demanda de estilo de compra.

4. Visibilidade de estoque

A visibilidade dos estoques de todos os canais e a possibilidade da venda de produtos que estão em outros centros de distribuição ou lojas físicas é um dos grandes benefícios da estratégia All-Line. A dificuldade é que a comunicação dos canais integrados deve ser em tempo real e a informação tem que ser de grande confiança entre todos os envolvidos para não ocorrer desencontros de informação e acarretar uma série de problemas.

Quando esse aspecto estiver em perfeito funcionamento ainda há um desafio muito grande a ser enfrentado em relação à logística de todo o esquema de vendas, principalmente no que diz respeito aos agendamentos, rotas de transferências, pontos de corte, custos de frete, entre outros.

5. Pouca integração com as redes sociais

O varejo praticado no Brasil ainda está muito limitado, em sua grande maioria, à loja física, e-commerce e call center. As diversas opções de redes sociais ainda são pouco exploradas para comercializar bens e serviços. A divulgação é bastante explorada nas páginas do Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter, mas a consolidação da venda ainda é pouco realizada.

Diferente de outros países que já integraram todos os canais de compra com as redes sociais, o Brasil ainda passa por severas limitações relacionadas a ferramentas para colocar em prática essa estratégia. O que nossas empresas também exploram pouco são as mudanças comportamentais dos consumidores (que são apresentadas por intermédio dos perfis de redes sociais) para entender uma constante e aproveitar-se dela para realizar uma venda.

6. Suporte tecnológico aprimorado

Não basta dar início a essa estratégia se você não optar por suportes e prestadores de serviço de qualidade. São raras as empresas que conseguem implementar o All-Line com os recursos já existentes na própria organização e com os profissionais que ali já trabalham, o que acaba gerando um maior custo para os empresários. Mas é de extrema importância a assessoria de uma empresa especializada para dar suporte tecnológico, suporte de design e suporte fiscal.

Além desse primeiro passo de implementação, outro grande desafio para o setor comercial é a constante atualização que deve ser feita. É muito importante ficar atento às mudanças do cenário atual para se adaptar ao novo e não deixar a sua estratégia ficar obsoleta.

Os desafios existem, sim, para a estratégia All-Line, mas a recompensa, que nesse caso é o lucro financeiro, vale a pena. Para você saber se a implementação na sua empresa foi feita efetivamente, levante de tempos em tempos planilhas com os dados financeiros para saber se o retorno do investimento está adequado. Isso é vital para o bom funcionamento da medida.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre a estratégia All-Line, estude o caso da empresa pela qual você é responsável e veja se ela está no momento correto para a implementação.

Se você gostou do post, tem alguma dúvida ou sugestão, envie seu comentário para conversarmos mais sobre esse assunto. Let’s share knowledge!